Um passeio fora do comum pertinho de Foz do Iguaçu

A Terra das Cataratas tem opções de passeios nada óbvios, sim e nós podemos provar! Hoje a Combo Iguassu te convida para um tour em Minas de Wanda e Ruínas de San Ignácio Miní. 

São dois passeios que ficam na nossa vizinha Argentina, cheios de riqueza histórica e informações preciosas para você se encantar ainda mais pela região trinacional! 

Neste artigo, vamos falar dos seguintes tópicos: 

Conheça as Minas de Wanda

A exatamente 60 km da aduana de Foz do Iguaçu com a Argentina está a colônia de Wanda, que em sua origem, foi colonizada por poloneses. 

O que explica o nome da cidade, que é uma homenagem à princesa polaca Wanda, filha do rei Krakus que, diz a lenda, fundou a Cracóvia no século IX.

Apesar de pouco conhecida pelos brasileiros, tem uma das principais mineradoras argentinas que extraem ametistas. 

A jovem Companhia Mineira de Wanda foi fundada em 1994, antes disso era uma fazenda. Até que num belo dia, alguém achou uma “pedra diferente”. 

Ao investigá-la, descobriram se tratar de uma pedra preciosa e foi assim que se iniciou o trabalho de mineração que até hoje está em atividade.

Túneis das Minas de Wanda
Túneis das Minas de Wanda | RE Assessoria

Sobre a formação geológica das minas

Para você que está vendo as fotos das Minas de Wanda pela primeira vez, saiba que o lugar é muito mais que ver pedrinhas brilhantes. 

As rochas basálticas ali exploradas tiveram sua formação há mais de 150 milhões de anos e os geodos (que são as ametistas) se originam num processo vulcânico. 

Na verdade, os geodos são bolhas de ar que ficaram presas na lava durante um derramamento vulcânico. 

Essas bolhas de ar ao entrar em contato com calor e a pressão, iniciam um processo de cristalização, e assim formam as pedras preciosas.

Como é feita a extração?

As minas de wanda têm 12 túneis de 50m de extensão, com 2 metros de altura e 4 metros de largura, mas somente 5 deles são abertos ao público.

O túnel tem uma profundidade de 120 metros e acredita-se que em 10 anos ele passará a ter 300 metros. 

O garimpo para retirada do geodo é arriscado e minucioso. É preciso causar explosões controladas a base de eletricidade para quebrar as rochas.

O segundo passo para extração é um trabalho manual e bem cuidadoso para não acertar os cristais internos ao detectar o geodo. 

Das rochas são extraídas gemas de ametista, quartzo, ágata e topázio. 

Segundo especialistas do local, as ametistas de Wanda são as únicas da Argentina e uma das melhores do mundo. 

Não é à toa que são vendidas para Ásia, Europa, EUA e visitantes do local.

Geodo de ametista nas Minas de Wanda
Geodo de ametista nas Minas de Wanda | RE Assessoria

O que você conhece sobre pedras preciosas? 

Somente por curiosidade, vale comentar que a definição que conhecemos de pedras preciosas e semipreciosas já não são mais usadas, pelo menos no Brasil. 

Para os geólogos, o ideal é chamá-las de gemas e todas são preciosas

No entanto, sua beleza e valor depende de uma série de fatores, os principais deles são a dureza e a transparência da pedra.

Isso é determinado por uma escala, a Tabela de Dureza de Mohs que vai de 1 a 10. Quanto maior seu número na escala Mohs, mais dura é a pedra e mais valiosa ela é. 

Em exemplo prático: o diamante é o mais duro e tem 10 de dureza, o rubi tem 9, a esmeralda 8 e a ametista 7. 

Agora, falando da sabedoria popular, algumas pessoas acreditam que as pedras têm poderes energéticos. Quer saber quais? 

  • Ametista: poderosa contra o olho gordo;
  • Quartzo: dá energia; 
  • Ágata: ajuda a ter uma boa saúde;
  • Topázio Ciprino: bom para a prosperidade.

Gostou de saber disso? Então, vamos ver como funciona o passeio para você conhecer todas essas preciosidades! 

Turistas nas Minas de Wanda
Turistas nas Minas de Wanda | RE Assessoria

Como funciona o passeio?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a Mina, bateu aquela vontade de ver de perto, certo? Então, vamos lá! 

Chegando na Mina de Wanda, tem um guia local que passa várias informações sobre o trabalho de extração, a formação e tipos de pedras extraídas ali. 

Você poderá observar como é feito o garimpo e depois dessa imersão dentro da mina, você passará pela oficina, onde as pedras são classificadas, lapidadas e se transformam em jóias ou artesanatos. 

Isso é muito interessante para conhecer o processo completo, desde a extração até o produto final. 

Após o passeio, passe no Museu de Pedras e veja a exposição de pedras extraídas do local e os produtos vendidos ali. 

Quem sabe você já aproveita para comprar alguma jóia ou souvenir do local!

E, para finalizar, o ponto final é no restaurante El Mineiro, onde você poderá provar um típico churrasco argentino. 

>>Quer ver outros passeios “diferentões” em Foz do Iguaçu? Confira estes artigos:

Conheça as Ruínas de San Ignácio Miní

Ruínas de San Ignácio Miní
Ruínas de San Ignácio Miní | RE Assessoria

Como tudo começou

Vamos começar conhecendo um pouquinho da história das Ruínas de San Ignácio Miní. 

A redução San Ignácio Miní, como eram conhecidos esses lugares, se iniciou por volta de 1610 no norte do Paraná – Brasil. 

As reduções eram assentamentos indígenas liderados por padres jesuítas que tinham o objetivo de evangelizar os índios e também de “civilizá-los”, segundo os costumes do homem branco. 

Por volta de 1629, os bandeirantes vindos de São Paulo, com o objetivo de roubar recursos das missões e capturar índios para vendê-los como escravos, começaram a atacar essas missões. 

Em razão disso, o líder das missões do Brasil, Padre Antonio Ruiz de Montoya, liderou uma fuga com cerca de 12 mil índios para tentar salvá-los da violência dos bandeirantes. 

E,assim, abandonaram o norte do estado do Paraná, e partiram em direção à Argentina, Rio Grande do Sul e Paraguai

Aqueles que sobreviveram à difícil viagem, fundaram os 30 povos das missões, entre elas as reduções de Nossa Senhora do Loreto e de San Ignacio Míni em 1632, às margens do Rio Yabebyry.

Nova jornada em San Ignácio Miní

A redução de San Ignacio Miní era considerada a maior dentre os 30 povos fundados e já chegou a ter 7.400 índios guaranis. 

Com a convivência entre padres e índios, padres jesuítas aprenderam guaraní e aperfeiçoaram a gramática do idioma. 

Já os índios aprendiam ofícios de padaria, arquitetura, carpintaria, entre outros, além de trabalharem para sustentar suas famílias. 

Acredita-se que as construções da redução de San Ignácio se iniciaram por volta de 1696 e levaram cerca de 10 anos para serem concluídas. 

Com o Tratado de Madri, em 1750, se iniciou um conflito por territórios conhecido como a Guerra Guaranítica e, com isso, padres jesuítas foram expulsos das Américas.

Acusados de liderarem uma guerra com indígenas contra os colonizadores. 

Maquete das Ruínas de San Ignácio Míni
Maquete das Ruínas de San Ignácio Miní | RE Assessoria

130 anos depois de abandonado…

O sítio arqueológico de San Ignácio foi totalmente restaurado no século XIX e hoje é uma das ruínas das missões jesuíticas mais bem preservadas. 

Em sua estrutura há uma igreja, a casa dos padres, cemitério, algumas casas e a prefeitura, tudo em torno da praça central. 

No local é possível apreciar a arquitetura barroco-americana e sua construção com as pedras locais, em especial o arenito vermelho, que contribuiu para a sua preservação ao longo dos anos. 

Toda essa riqueza histórica e cultural foram reconhecidas pela UNESCO, que declarou em 1984 o espaço como um Patrimônio da Humanidade. 

Como funciona o passeio às ruínas?

O local de partida é do centro de Foz do Iguaçu, a 252 km de distância de San Ignácio, mais ou menos 3h30min de viagem. 

Nas ruínas, os visitantes são recebidos na recepção, onde podem assistir um filme de apresentação do local. 

A visita é toda guiada por um guia que explica sobre a arquitetura e o cotidiano da comunidade guarani e sua interação com os padres jesuítas. 

Durante o passeio, você vai percorrer toda a estrutura da ruína, que antes eram 18 hectares de terra e hoje permanece apenas 8 hectares. 

Ainda há no local o Museu de San Ignácio, onde estão expostos obras indígenas, uma maquete de como era a redução jesuítica e estátuas barrocas.

E, para aqueles que não se importarem de estender o tour, à noite há o Espetáculo de Imagem e Som, que leva você a vivenciar a história de uma maneira diferente.

Só para matar a sua curiosidade, no espetáculo é feito projeções de imagens, dramatização com as vozes de artistas brasileiros, como Fernanda Montenegro, e iluminação das ruínas. 

Todos esses artifícios para contar com emoção o que aconteceu naquelas terras. 

Museu de San Ignácio
Museu de San Ignácio | RE Assessoria

Informações úteis sobre os passeios: Minas de Wanda e Ruínas de San Ignácio Miní

Primeiro, vamos eliminar algumas dúvidas que possam surgir sobre os passeios Minas de Wanda e Ruínas de San Ignácio Miní.

Nas minas, não se assuste com os barulhos das explosões, elas são controladas, como já falamos anteriormente e você poderá ver de perto quais pedras foram encontradas ali. 

Também não se preocupe em achar que vai se sentir sufocado debaixo da mina, pois os trajetos são curtos e o seu interior não é desconfortável para o visitante, pelo contrário!

Diante das belezas das pedras e da curiosidade, os turistas acabam esquecendo que lá dentro é um pouco escuro.

Como o passeio de Wanda é somente pela manhã, é possível conhecer os 2 lugares no mesmo dia, assim você explora um pouco mais a Argentina e otimiza um dia de viagem. 

Saídas e agendamento:

Para Minas de Wanda as saídas de Foz do Iguaçu, sendo elas regulares, nas segundas, quartas e sextas.  

Para San Ignácio, as saídas regulares são nas terças, quintas e sábados. 

Ou pode ser feito privativo, no dia que preferir, mas atenção, nesse caso precisa ter no mínimo 2 pessoas. 

É importante dizer que precisa ser agendado com pelo menos 1 dia de antecedência. 

Horários dos passeios:

Minas de Wanda: Saídas entre as 08h – 08h30min e termina por volta das 14h – 14h30min.

Ruínas de San Ignácio: Saídas das  07h – 07h30min  e se encerra por volta das 18h – 19h.

Espetáculo de Imagem e Som: acontecem todos os dias às 20h, horário argentino. 

As minas de Wanda localizam-se na Calle Boleslao Jejer S/N, N3376 Puerto Wanda, Misiones, Argentina.

O endereço das Ruínas de San Ignacio Míni é: N3322 San Ignacio, Misiones.

Como adquirir seus ingressos? 

Você pode comprar e agendar seu passeio com a Combo Iguassu, temos bases da nossa agência no Tarobá Hotel, Tarobá Express e Mirante Hotel.

Ou, se preferir, é possível comprar online e retirar em uma das nossas lojas. Também entregamos diretamente no seu hotel, mediante taxa de entrega. 

Para Minas de Wanda, crianças de até 5 anos não pagam, e de 6 a 8 anos pagam meia entrada. 

Já nas Ruínas de San Ignácio, a partir de 5 anos, crianças pagam o valor integral. 

O que vestir?

O ideal é ir com roupas e calçados leves, e que sejam confortáveis para caminhada.

Documentos necessários:

Para atravessar a fronteira você deve levar:

  • Cédula de Identidade Civil (RG);
  • Passaporte;
  • CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Obs.: São aceitos somente documentos originais e com menos de 10 anos de expedição.

Menores de 18 anos devem estar acompanhados dos pais ou tutores. Caso contrário, deverá possuir documento judicial de autorização para atravessar a fronteira.

Minas de Wanda e Ruínas de San Ignácio Miní | Conclusão

Neste artigo, a Combo Iguassu mostrou que há muito mais para se conhecer na Tríplice Fronteira, como as opções de passeios na Argentina nada convencionais. 

Vale a pena se programar para ficar uns dias a mais em Foz do Iguaçu para explorar as riquezas das Minas de Wanda e conhecer a impressionante história entre jesuítas e guaranis nas Ruínas de San Ignácio Miní. 

Quer explorar ainda mais a nossa região? Acesso o nosso blog e conheça outros atrativos na nossa região. E já compartilhe com aqueles que você gostaria de compartilhar essa viagem!

Você também pode encontrar muito mais informações nas nossas redes sociais, nos siga e veja todas as nossas dicas!

Redação: Joelma Oliveira | Revisão: Suellen de Freitas