ITAIPU: PEDRA QUE CANTA. VAMOS CONHECER SUA MAGNITUDE DE PERTO.


Compartilhe este conteúdo com seus amigos

História

Image

Fonte: bancos de dados gratuito - Pixabay

Ela é resultado de intensas negociações, entre Brasil e Paraguai, na década de 1960. Só lá em 22 de julho de 1966, os ministros das Relações Exteriores do Brasil – Juracy Magalhaes – e do país vizinho (Paraguai) – Sapena Pastor – assinaram ata de conjunto mútuo para estudar o aproveitamento das águas que banha os dois países, pelo Rio Paraná. O tratado de ITAIPU foi legalmente assinado só em 1973.

Esse famosos tratado expira! Sim por incrível que pareça, há data de validade, chagando até 2023, está bem perto, mas calma que tem uma solução para isso, já voltamos nesse assunto. Em 2009 houve uma renegociação entre os países, esse acordo foi feito pelo motivo do Paraguai consumir menos energia, logo, como o Brasil tem o maior consumo da Energia produzida, passou a pagar o triplo do valor para o Paraguai. O direito de uso é um excedente ao preço da energia que é pago diretamente ao governo paraguaio, ou seja, não pode ser deduzido da dívida assumida pelo Paraguai. No total, o preço da energia subiu de US$45,31 por MWh para US$ 50,93 por MWh. Ainda nesse acordo, o país brasileiro permitiu que o excedente da energia paraguaia seja vendido diretamente às empresas brasileiras, se assim preferirem os paraguaios.

Início da obra…

O início efetivo das obras ocorreu em janeiro do ano seguinte – em 1973 –. Um consórcio de construtoras, liderado pela Mendes Júnior, executou o projeto. Para a construção foram usados por volta de 40.000 homens, trabalhando direto sem intervalo. Quanto ao material que foi usado, mais ou menos 12.570.000 m³ de concreto, (quase que possível a construção de 210 estádio do Maracanã) e uma quantidade de ferro para a construção de 380 Torres Eiffel. Olhando por uma visão geral, a Usina de Itaipu, é maior que construção que o Eurotúnel, que liga França e Reino Unido, tendo um volume de concreto e escavação de 8,5 vezes maior. Muito grande, não é?

Image

Fonte: bancos de dados gratuito - Pixabay

Mas tem uma parte da história que poucas pessoas sabem, que em 14 de outubro de 1978, foi aberto o canal de desvio do Rio Paraná, que permitiu secar uma parte do rio, que é onde foi construída a barreira principal, desde o leito do rio. Sabe o chão do rio, onde fica as pedrinhas? Pois é, desde lá que a barragem e construída, mas calma que ainda não acabou. Outro marco muito importante sobre a Itaipu, foi a assinatura do Acordo Tripatite – acordo que liga os três países Brasil, Paraguai e Argentina, em um só acordo – em 1979 para maior exploração dos recursos do trecho do Rio Paraná desde as Sete Quedas até o a desaguamento do Rio da Prata em Mato Grosso do Sul. Na época que os três países eram governados por ditaduras, haviam comentários que se o Brasil tivesse conflitos com a Argentina, seria possível abrir as comportas para assim subir o nível do Rio Paraná e acabar inundando a cidade de Buenos Aires, capital da Argentina.

Outra curiosidade que pouquíssimas pessoas sabem é que existe outra usina, a Hidrelétrica de Yacyretá – construída no Rio Paraná entre Argentina e Paraguai, a hidrelétrica está localizada a 70 km da oeste das cidades de Posadas na Argentina e Encarnación no Paraguai. Situa-se abaixo das águas da usina binacional de Itaipu e conta com um reservatório com cota de 83 metros acima do nível do mar, além de 20 turbinas tipo Kaplan – são grandes bulbos colocados dentro de um canal submerso contendo gerador embutido e hélice propulsora – onde passam em cada uma delas cerca de 2.63 milhões de litros de água.

A inauguração

O reservatório da usina se iniciou em 13 de outubro de 1982, quando foram concluídas as obras da barragem, e as comportas do canal de desvio foram fechadas. Com o volume de chuva e enchentes nesse período, a água chegou a 100 metros, chegando às comportas as 10h de dias de 27 de outubro. Em 5 de maio de 1982, a primeira comporta entra em ação, as outras foram liberadas a cada ano, sendo produzidas duas ou três por ano. Partindo para a produção de energia até os anos de 2006 e março de 2007. Mais duas turbinas, foram instaladas, chegando a quantidade de 20, deixando sempre 18 em funcionamento e as outras duas em manutenção.

Dados da Hidrelétrica

Image

Fonte: bancos de dados gratuito - Pixabay

No total a barragem tem 7.919 metros de comprimento, sua altura chega a 196, equivalente a um prédio de 65 andares. A liberação de água no vertedouro – onde faz neblina de água – é de 62,2 mil metros cúbicos de água por segundo, o que se comparando com as Cataratas do Iguaçu, tem o valor de 40 vezes a vazão das quedas que se entende por 1500 m³ por segundo. O país teria que queimar mais de 536 mil barris de petróleo por dia para gerar a quantidade de energia para os dois países.

Os números impressionam qualquer um que visita a gigantesca Usina Hidrelétrica de Itaipu, por isso, te convido a passar as próximas férias aqui em Foz do Iguaçu, no Hotel Tarobá, que tem, uma vista privilegiada da cidade e da e ao longe podemos ver a barragem ilumina em dias especiais. podendo aproveitar todos os passeios com parceria com a Combo Iguassu, te levando e buscando com horários de embarque e desembarque.

Quer dicas sobre Foz do Iguaçu?

Você é um turista e quer saber tudo sobre o destino que irá viajar? Gostaria de tirar dúvidas, ter feedback de moradores da cidade e de outros viajantes que já passaram por aqui? Foi pensando nisso que a Combo Iguassu criou um grupo no Facebook para auxiliar quem viaja a Foz do Iguaçu e gostaria de mais dicas de turismo, passeios e hospedagem na cidade. Um grupo feito completamente para tirar dúvidas e fazer perguntas relacionadas a esses quesitos aí em cima. Basta procurar no Facebook pelo grupo “Dicas de passeios, turismo e hospedagem em Foz do Iguaçu” que aparecerá nosso grupo, ou clicando neste link azul em cima do nome do grupo.

Atendimento pelo Whatsapp