Surubim pintado um dos maiores peixes do Pantanal.

Consultar

O pintado um dos maiores peixes do Pantanal.

PINTADO –SURUBIM
%imagem-1%

(Pseudoplatystoma corruscans)

O pintado é um dos maiores peixes do Pantanal. Quando atinge entre 70 e 80 cm é considerado adulto, ocorre sobretudo no leito principal dos rios e corixos, embora possa ser encontrado em lagoas e áreas inundadas na época das cheias e realiza longas migrações rio acima na época da seca, acompanhando os cardumes de curimbatás (seu principal alimento nessa época), para desovar nas cabeceiras entre dezembro e fevereiro.

 Muitos pescadores se enganam em achar que o pintado e o surubim são peixes de subespécie diferente, na verdade tratasse do mesmo peixe, outros o confundem com o cachara que apesar de ser bem parecidos tem diferenças bem distintas nas manchas da pele .

O pintado é um peixe da família dos bagres e tem característica bem peculiar, com a cabeça longa e achatada que ocupa praticamente um terço do tamanho do corpo , tem a coloração que vai do cinza escuro até uma parte bem esbranquiçada em toda extensão do abdômen, com pintas bem definidas em forma de bolinhas negras por todo o corpo.
%imagem-2%

Em se tratando de água doce é considerado um peixe de grande porte, podendo chegar nas bacias do são Francisco até 90 kg, já na bacia do prata e pantanal chega a pesar 50 kg, pode ter hábitos diurnos mas é mais ativo durante a noite, extremamente carnívoro se alimenta basicamente de qualquer peixe pequeno dando preferência aos piaus, curimatãs ,tuviras e traíras.

Durante o dia repousa em poços e lugares mais profundos, e a noite fica ativo a procura de alimento, costuma ficar também em águas com correntezas em regiões de pedreiras e frequenta lugares onde a cardumes de peixes pequenos.

O pintado possui a boca grande , os dentes são tão pequenos que formam uma espécie de lixa bem grosa que lhe proporciona segurar com firmeza suas presas para posteriormente engoli-las inteiras ,por ser um peixe da família dos bagres, ataca suas presas com uma espécie de sucção onde ao localizar um peixe pequeno ele cria um vácuo sugando-o para dentro da boca, usa grandes barbilhões que possuem sensores sensíveis ao toque que funciona como uma segunda e poderosa visão, o que lhe proporciona encontrar alimentos mesmo nas águas mais profundas e sujas.

A carne do pintado é muito saborosa , praticamente sem espinhas , a sua estrutura corporal é de aproximadamente 60% de carne pura , carne esta que rende pratos excepcionais, como o famoso filé de pintado ou as moquecas, sem contar os ensopados das cabeças que muitos o tem aqui no pantanal como afrodisíaco. Este é um dos motivos que o torna um dos peixes mais procurados pelos pescadores e por restaurantes , fazendo com que seja muito valorizado comercialmente, ocasionando a pesca ilegal e indiscriminada quem vem dizimando esta espécie em vários rios do Brasil, mesmo no pantanal e suas cidades como aqui em Cáceres o kg do pintado chega a custar de 10 a 20 reais dependendo da época e volume de capturas.

%imagem-3%

Nos últimos anos o pintado tem sido tão pescado e abatido nos rios pantaneiros, que a população esta diminuindo significativamente , tornando extremamente rara as capturas de grandes exemplares .

Este peixe é um atrativo a parte para pesca esportiva, cada 10 entre 10 pescadores que vêem ao pantanal , querem fisgar um grande pintado, sendo muito comuns capturas na faixa de 8 a 10 kg, e com um pouco mais de sorte alguns são presenteados com exemplares com mais de 35 kg e mais de um metro e meio de tamanho, já vi exemplar de 54 kg capturado aqui no pantanal, mas são casos extremamente raros, sendo o maior que já peguei aqui em Cáceres com 45 kg e um 1,40 metros de comprimento.

As formas mais eficazes para capturar os pintados, depende muito das épocas em que se vai pescar, um fator determinante que rege o sucesso das pescarias no rio Paraguai depende do nível das águas, sendo mais fácil de pegar os grandes em época de vazante onde se encontram grandes concentrações de pequenos peixes que retornam ao rio depois do período de cheia, outros bons pontos são as corredeiras de pedras onde pintados e dourados dividem espaços e alimentos, no período de seca as chances de pegar um grande pintado se volta para os poços profundos que por o rio estar baixo os grandes peixes tendem a procurar águas mais profundas.

Nas vazantes se usa o modalidade de rodada, onde se arremessa a isca nas margens onde estão acontecendo as investidas em peixes menores e deixar a isca passar perto dos pintados que dificilmente deixarão passar uma bela isca a sua frente, é talvez a maneira mais prazerosa de pescar pintados.

Na seca pode-se rodar em cima dos poços, mas o mais indicado é apoitar o barco e jogar a isca com um chumbo pesado para mante-la dentro do poço e esperar o ataque, conhecida como pesca de espera.

Muitos pescadores insistem em usar linhas muito finas para pesca de pintados, ato que mais tarde sempre acaba em decepção, por eventuais arrebentamentos, uma linha de boa qualidade e que agüenta bem são as de multi-filamento, mas pouco indicadas por mim para pesca no rio Paraguai , pelo fato de ser um rio com muitos troncos e galhadas no fundo ocasionando muitas enroscadas e esta linha é extremamente difícil de se romper trazendo muita perca de tempo sem contar com o perigo de manuseá-la para retirar do enrosco.

Molinetes e Carretilhas são as melhores opções com varas de 30 a 60 lb em media de 1,60 a 1,80 metros.

Para pesca de rodada o ideal é usar linhas de nylon de 0,50 a 0,60 mm isso para o rio Paraguai na região de Cáceres, linha esta que com um pouco de habilidade é possível tirar pintado de qualquer tamanho , os anzóis variam entre 6 e 8 /0, com um distorcedor e cabo de aço flexível de 20 cm para deixar que a isca viva consiga fazer movimentos mais perto do natural possível.

Para pesca apoidata ( barco preso por uma espécie de âncora) os equipamentos podem ser os mesmos de rodada só que com um chumbo para manter a isca presa ao fundo .

A pesca de corrico com iscas artificiais de profundidade é bem eficaz em algumas regiões, principalmente na argentina, nesta modalidade o peixe sempre é fisgado por partes do corpo pela garatéia da isca artificial,dizem por La que o pintado bate na isca com o rabo para mata-la e depois comer, esta informação no meu ponto de vista é totalmente incorreta e falsa, levando em consideração que o pintado é um peixe predador e por ser um bagre, usa os barbilhões para detectar a presa e a abocanha por sucção e da total preferência as iscas bem vivas que estão em pleno movimento. Na verdade o que ocorre é que quando se currica com iscas artificiais de fundo, a isca vem varrendo o fundo do rio e como os guias já conhecem os poços onde estão os pintados passam sempre por cima do local com as iscas que atingem facilmente o corpo dos pintados os fisgando por qualquer parte do corpo e assim usam este pretexto para dizer que o pintado de alguma forma atacou a isca, pratica antiesportiva que prende o peixe sem que ele esteja comendo de verdade, fica ai a resalva para que pescadores não sejam enganados por guias de pesca que inventam de tudo para pegar peixes só para dizer que o local é fácil de pegar os grandes pintados, lembre-se sempre ! Fisgar um grande pintado pela boca “ na raça” nunca será tarefa fácil em rio nenhum do mundo.

O pintado é um peixe extremamente forte e geralmente usa seu peso e tamanho para se manter no fundo. Quando fisgado,certamente irá procurar por galhadas no fundo para se livrar do anzol, por tanto é essencial que o piloteiro procure manter o barco em águas mais rasas durante uma briga, um peixe de médio a grande porte pode retirar mais de 30 metros de linha em uma só arrancada e acompanhá-lo com o motor sempre o forçando a vir para o raso aumentará significativamente as chances do embarque .

Ao embarcar um grande pintado , o pescador deve ter cuidado redobrado, a melhor e mais eficiente forma de embarcar um pintado é sempre deixa-lo bem cansado , quando estiver entregue a briga, pegar pelo rabo com uma das mão e na cabeça passar a outra mão por debaixo do queijo apoiando o corpo do peixe como se fosse abraça-lo, isso evita que a coluna dele seja danificada, tomar muito cuidado com os esporões , pois os mesmos são muito afiados e possuem uma toxina extremamente dolorida, alem se possuírem um serrilhado que não permitem a sua retirada com facilidade da pele, a boca do pintado praticamente não é perigosa podendo apenas causar pequenas escoriações na pele pelos minúsculos dentes em forma de lixa, fato que qualquer luva dará total segurança.

Ao efetuar a soltura, colocar levemente o peixe de volta na água com cuidado, e deixar ele por uns minutos antes de liberar totalmente para que se recomponha e tenha boas chances de sobreviver.

Os grandes pintados estão desaparecendo dos nossos rios, e cabe a nós a proteger este inconfundível Titã , forte e valente e ao mesmo tempo tão vulnerável ao consumo excessivo e falta de consciência por parte de muitas pessoas, digo sempre que uma bela fotografia vale mais que uma lembrança morta de um peixe que lutou tanto para chegar aos seus 20, 30 ou mais kg.

Então fica a dica ai pessoal, proteger para ter amanha.

Todo bom pescador tem consciência dos limites dos peixes e respeita as medidas e quantidades máximas para captura e bate, o ideal é que nunca se mate mais que apenas só o exemplar que for comer, fazendo isso teremos peixes em abundancia por muito tempo.

Luiz Emerson de Sousa.

Postado por PESCADOR DO PANTANAL

Fonte : pescadordopantanal.blogspot.com.br