Molinetes X Carretilhas: Rivais ou companheiros?

Consultar

Molinetes X Carretilhas: Rivais ou companheiros?


Carretilha ou molinete, qual é o melhor ? Aprenda a diferença desses dois equipamentos.

Para nós pescadores, o importante é que tanto as carretilhas e os molinetes, desde a sua invenção, desenvolveram-se e evoluíram de uma forma impressionante, ficando cada vez melhores.

Acredita-se que os molinetes tiveram a sua origem na França por volta de 1870, e as carretilhas surgiram na Inglaterra no século Dezessete.

Hoje, o pescador tem à sua disposição equipamentos para pesca fabricados com a mais alta tecnologia, desde os modelos “micro”, destinados à pesca ultra leve, passando por carretilhas elétricas usadas na pesca vertical no mar, molinetes e carretilhas construídos em titânio ou em ligas de aços especiais, até as grandes carretilhas para pesca oceânica, todos facilmente encontrados em lojas de pesca e na internet.

Era comum pescadores radicalizarem suas opiniões, dizendo só usar carretilhas (principalmente para pesca pesada), por acreditarem ser o molinete frágil e não confiável, e pescadores adeptos da pesca com iscas artificiais usarem somente molinetes, pela dificuldade de arremessar iscas mais leves com as carretilhas, evitando assim as terríveis “cabeleiras”. Hoje em dia, posso dizer que tecnicamente os molinetes com chassi rígido (titânio, aço inox ou alumínio), com fricção dianteira, e trava com anti-reverso contínuo, são tão resistentes e confiáveis quanto as melhores carretilhas.

 Em contrapartida, as carretilhas de perfil baixo, dotadas de freio centrífugo ou magnético, tornaram-se as preferidas na pesca com iscas artificiais, pela precisão que proporcionam nos arremessos e pela comodidade e leveza.

O molinete arremessa com facilidade iscas mais leves. Quando a pescaria é realizada em locais onde as distâncias para os arremessos são muito curtas, como em pequenos rios ou córregos, esse equipamento leva vantagem. Outro ponto positivo do molinete é que no momento em que a isca cai na água, a linha para de sair, evitando a “cabeleira”. A carretilha serve para arremessos mais longos e precisos. A linha não torce com facilidade e sofre menor atrito nos passadores.

Aprenda a diferença desses dois equipamentos.

O fixador:

– No caso das varas de carretilha, as varas possuem uma espécie de gatilho, já as de molinete não possuem. As varas de carretilha possuem esse acessório para facilitar que a vara fique na mesma posição, pois a carretilha fica sempre para o lado de cima. Como o molinete trabalha para baixo, não é necessário o gatilho na vara.

Os passadores:

– O primeiro passador da vara de molinete é sempre maior que os outros, porque a linha sai do carretel em forma de espiral, de acordo com a largura do carretel, por isso o primeiro passador é mais largo.

– Na vara de carretilha também há esse processo de regressão do tamanho dos passadores, mas o primeiro passador, em comparação com a vara de molinete, já é bem menor, porque no arremesso de carretilha, o carretel gira junto e a linha sai de forma retilínea, não sendo necessário um passador tão grande.

Passadores:

– Quanto à quantidade de passadores, a vara de carretilha possui sempre mais passadores que a vara de molinete, porque a linha fica para cima e não para baixo, como a do molinete.

Carretilha ou molinete, qual é o melhor equipamento?

Este debate persiste por anos, porém ambos têm suas vantagens e desvantagens. Cabe ao pescador saber tirar proveito do melhor que cada um pode oferecer. Portanto, quando você for pescar, não se intimide: leve os dois equipamentos de pesca e use-os da melhor forma e divirta-se!

Fonte : www.guiasdepesca.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *