Empresa aérea pode cobrar por embarque de tubo de varas

Consultar

Companhia aérea pode cobrar R$ 100 por embarque de tubo de vara

Medida praticada em grandes aeroportos pegou pescadores de surpresa há alguns dias

O pescador que for viajar de avião pode ser surpreendido ao ter que pagar uma taxa extra pelo transporte do tubo de vara. Consta no site dos principais aeroportos do País que ele é considerado “bagagem especial” e, por isso, no balcão de check-in do aeroporto, existe a possibilidade de ser cobrado R$ 100 por tubo.

A informação da cobrança pode ser confirmada no acesso aos sites de grandes aeroportos, como os de Guarulhos, Cumbica e Viracopos/Campinas em São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Recife, Fortaleza e Galeão no Rio de Janeiro. Alguns pescadores tiveram que pagar a taxa há poucos dias.

No entanto, no site das principais companhias aéreas brasileiras (Latam, Gol e Azul) não há essa informação.

Em contato com a assessoria da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a Pesca & Companhia apurou que o valor pode mesmo ser cobrado pela companhia aérea escolhida, mas não é regra. Esta medida tampouco faz parte do pacote de novos procedimentos nos aeroportos implantado a partir dessa segunda-feira, 18, com vistas aos Jogos Olímpicos.

Insatisfeitos com o “risco” de gastar, pescadores já organizaram um abaixo-assinado eletrônico pedindo que medida seja cancelada. Clique aqui para participar!

Vale lembrar que há pouco tempo a companhia Gol era a única a cobrar uma taxa por porta-vara. Depois de certa pressão, desistiu.

Outros itens que são considerados bagagem especial: prancha de surf, bicicleta, ski/snowboard, arco e flecha, kite surf e patinete.

Fonte : revista pesca e companhia